segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Tourada à corda em Agualva, ilha Terceira

A propósito de uma mensagem de pessoa amiga no facebook. Para rir.
Comentários fiquem para cada um(a).
Parecem de borracha, figurinos, bonecos...
Ver, aqui, algo mais e sobretudo um belo texto de Vitorino Nemésio.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Labrugeira em dia de círio à Ermida de S. Jorge

Domingo, 27 de Agosto
No regresso da Abrigada, à beira da serra de Montejunto, Labrugeira chamou por nós, pelo ar geral, a igreja, o jardim, café… No largo, o mastro central, de onde irradiam cordões coloridos, diz-nos que há festa.
É dia de Círio, com missa na ermida de S. Jorge, no alto de um monte, em propriedade privada, perto da Labrugeira, diz a senhora do café. Por isso, não há missa na igreja de Santo António.
A Labrugeira pertence à freguesia de Nossa Senhora das Virtudes da Ventosa e sua paróquia. A igreja foi restaurada na década de setenta. Missa aos domingos, às 12:15.

*
«Logares e quintas da freguezia
Sobre este assumpto pouco podemos escrever porque nada há nos auctores antigos sobre a freguesia. O logar da Labrogeira, que é o mais importante, tem uma ermida de Santo Antonio, e há mercado no quarto domingo de cada mez e feira anual em 13 de Junho.» (ALENQUER E SEU CONCELHO, por Guilherme João Carlos Henriques (da Carnota), fac-símile da edição de 1873, arruda editora, depósito legal: 236459/05)
Mais sobre a Labrugeira, infra, em Informações.

Igreja de Santo António; Largo de Santo António em dia de Círio a S. Jorge

Em frente se segue para a Abrigada


Fotografia tirada de dentro do café

13:12 (estas, as primeiras fotos)
«No templo há duas belas imagens, a de "São João Baptista" em madeira policromada (século XVIII), e um "Santo António", de grandes dimensões, de madeira estofada e policromada com olhos de vidro.
Dentro de uma redoma de vidro, há uma pequenina imagem de "Nossa Senhora da Conceição" do século XVIII, de madeira estofada e policromia.» (Nadine Rodrigues;ver, abaixo, a primeira hiperligação)


Quando se entra na igreja, na parede do lado direito, pedra com inscrição sobre a reabertura ao culto; na parede da esquerda,  placa mais antiga regista uma concessão do Papa Pio VI

Pia baptismal; Baptismo de Jesus

Informações
http://ventosaalenquer.blogspot.pt/2013/10/patrimonio-turistico.html (Procurar Igreja de Santo António - Labrugeira)
Da wikipédia (Labrugeira. Gralha evidente, onde se lê «fractura»; deve ler-se «factura»)

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

CURVEL - Festa em honra de N.ª Senhora da Ameixoeira


Domingo, 27 de Agosto
Num campo alto, perto da Rua da Ladeira, donde se vê toda a aldeia, a alvorada acorda o povo. É dia de festa, Círio. Um tubo soldado a uma sapata em cruz, perfeito morteiro, está a postos. O operador acende um rastilho à boca do aparato bélico, espera-se uns segundos, um sopro surdo, ffffaaaffff!!!!…, e de dentro da alma do tubo preto sai algo invisível, duzentos metros acima paira, PUM!!! Ou PUM!!! PUM!!! PUM!!!, estoira morteirada… Dez minutos ou mais. É assim. Acorda, Curvel!
Sem foguetes. Proibidos…
Junto à capela de Nossa Senhora da Ameixoeira, aguarda-se a Banda da Sociedade Filarmónica Olhalvense. Acompanhamos o desfile e peditório pelas ruas e pequenos largos. Três jovens (duas raparigas e um rapaz) têm a missão de pedir. Uma, leva o guião de Nossa Senhora da Ameixoeira, que exibe aos da casa (mãos ao alto, segurando cada uma a sua ponta do varão, donde se suspende); a outra, uma pequena bolsa ou taleigo para os donativos. O rapaz, qualquer coisa faz, talvez diga ao que vão, ou simplesmente está. Levava o pendão da Associação Cultural e Recreativa de Curvel, com certeza... A banda toca em cada paragem.
Às dez horas, partida do Círio para a Abrigada, onde haverá missa na Igreja Paroquial, seguindo-se almoço-convívio e o regresso do Círio ao Curvel.
A procissão em Curvel será, este ano, apenas pelas ruas do lugar e não, como habitualmente, saindo da capela, alcançando a Estrada Nacional (ocupando a faixa da direita) e virando à direita, lá mais à frente, para a Rua da Ameixoeira, percorrendo-a (numa extensão de 800 metros, ao que me dizem), de regresso à capela.

 Da Rua da Ladeira se vê o moinho do Toninó, do outro lado da Estrada Nacional

Do mesmo lugar, para lá do muro alto, S. Julião

Na Abrigada 

Ao centro e à direita, a igreja paroquial de Abrigada

Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Graça, momentos antes da Eucaristia
Esta igreja possui uma imagem de Nossa Senhora da Ameixoeira, venerada pelos romeiros de Curvel


Depois da Eucaristia







*
Informações do facebook da paróquia da Abrigada, com a devida vénia

sábado, 26 de agosto de 2017

Viagem no Alfazema e Choupal – Exposição

Torres Vedras por Eduardo Gageiro | Viagem no Alfazema e Choupal é o segundo livro de fotografias de Eduardo Gageiro sobre Torres Vedras. Está a decorrer exposição na Galeria Municipal até 10 de Setembro, p. f., com as fotografias (todas ou quase todas), distribuídas pelas três salas da PAÇOS. Esta mensagem é também um convite.
Ao entrar na galeria (primeira sala, rés-do-chão), logo na parede da esquerda, lemos uma evocação de Andrade Santos — reproduz as palavras do livro (págs. 9-12) —, o seu olhar memorial sobre o Páteo Alfazema, áreas adjacentes e o Choupal, com pequenos cortes, que diminuem um pouco a inteligência e articulação do texto original, sem perder a inteligibilidade. Depois, as fotografias. Vamos apreciando, assim, da esquerda para a direita, como na página de um livro. Ao final, uma mesa com o livro acima referido e Torres Vedras por Eduardo Gageiro | Viagem no Centro Histórico (este, em 2.ª edição). As duas obras dispõem de caixa de arquivo e não podem ser vendidas separadamente.
A intimidade, visão pessoal ou ideal ou subjectiva, revelam-se logo no título da dupla (tripla) viagem de Andrade — A Memória de Veteras | Viagem no Alfazema e Choupal. O percurso que fazemos com ele começa no Largo da Graça e vai-nos levando aos espaços requalificados como os vemos, agora. Visitamos também o passado, aqui vivido desde a infância pelo nosso guia. A terceira dimensão é a do sonho. O canteiro, que de dia cortava, polia e esculpia a pedra, «à noite sonhava com jazigos e campas de pedra marmórica». Sonha o canteiro, voa Eduardo Gageiro n’«as asas do sonho», sonha Andrade…
A intimidade, logo no título: diz Veteras (recordando a história romana) como se estivesse entre amigos a falar de «Torres» e não de Torres Vedras. É leve e mais do coração. O Alfazema é tratado por tu. «Largo do Alfazema», já rezava a placa toponímica. Dali se passava ao Pátio do Alfazema, como era conhecido, com placa ou sem placa.
Nostalgia e alegria são sentimentos confessados pelo autor. De Eduardo Gageiro, referiu, em palavras que continuam actuais, a «alegria de quem, a todo o instante, procura e vive o surpreendente mistério da aparição». (p. 12, VCH) Posso subscrever estas palavras, na Torres Vedras (e nas suas aldeias e campos) que vou descobrindo.
***
A exposição continua nas salas 2 e 3, como se compreenderá adiante. Pretendi uma publicação não exaustiva, selectiva das fotografias, mas o número delas foi crescendo. Trata-se de fotografia de fotografias, imagem de imagem..., para dar uma ideia da exposição e memória futura.
O Jordão. Não quero deixar de trazer para o meio de nós o Jordão. Um amigo que o conheceu bem, criança que andava por ali, apanhava enguias no Sizandro, subia às árvores…, «sofria» também da vigilância benévola, mas firme da encorpada figura…, este choupalense de gema diz-me: «Quem fala no Choupal fala no Jordão! ... Quem fala no Jordão fala no Choupal...». Sendo assim, Andrade Santos não o poderia esquecer e não o fez, dedicando-lhe um interessante parágrafo.

Praça do Município

Paços do Concelho
Sobre este edifício e a sua história, encontra, aqui, a informação retirada do painel visível na foto. 
Actualmente, a sede da administração municipal está sediada na Avenida 5 de Outubro. 



O átrio de entrada, visto da escadaria de acesso ao primeiro andar e auditório municipal

Posto de Turismo
Permite o acesso ao corredor, por onde alcançamos as salas 2 (no mesmo piso) e 3 (no segundo andar da Galeria de Arte Paços)

Sala do Rés-do-chão


À esquerda, mesa com os dois livros de Eduardo Gageiro sobre Torres Vedras: Viagem no Centro Histórico, em 2.ª edição (1.ª : Novembro de 2003), e Viagem no Alfazema e Choupal, ambos de Junho de 2017.




Ampliação do prospecto que se vê ao centro na oficina do ferreiro
Estão reproduzidas as moedas e notas do € (euro): Dinheiro novo / Vida Nova!
Entraram em circulação no nosso país em 1 de Janeiro de 2002

Texto com alguns parágrafos suprimidos, que lhe retiram um pouco da  inteligência e articulação do original (no livro, páginas 9-12), mantendo-lhe a inteligibilidade



***

Apresentação

O presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras
Carlos Manuel Antunes Bernardes
| viagem no Alfazema e Choupal


Andrade Santos, que assessorou Eduardo Gageiro (com Nuno Santos), deixa-nos aqui a sua «Viagem no Alfazema e Choupal». Primeiro, estas zonas de Torres Vedras criaram-no. Depois, já mais crescido, foi-se criando a si mesmo, sempre com elas.


A memória de Veteras
Viagem no Alfazema e Choupal





***

Galeria Paços
Sala do Rés-do-chão


 «Barcos no rio Sizandro»; «Crianças a brincar na relva do Choupal»; «Margem norte do rio Sizandro Choupal»; «Família em repouso na relva do Choupal»; «Idosos no Choupal»



«Praça Dr. Alberto Avelino : Alfazema» ; «Via Rodoviária. Vista nocturna | Choupal» e «Entrada para a Praça Dr. Alberto Avelino | Alfazema»

«Via Rodoviária. Vista Nocturna Choupal»
(Fotografia recortada)


«Atelier dos Brinquedos, na margem norte do rio Sizandro Choupal»; «Jovens junto à Biquinha do Choupal»; «Pormenor da área Alfazema» e «Crianças na margem norte do Rio Sizandro | Choupal»

Sala 2

Por esta escada se acede à sala 3 da Galeria Paços
O nosso caminho, agora, é em frente, para a sala 2




«Ponte pedonal sobre o Choupal | Evento nocturno»






«Crianças brincando na Praça Dr. Alberto Avelino Alfazema» e «Membros do Moto Clube junto do edifício Sede | Alfazema»


«Crianças no atelier dos brinquedos»

À direita, quadro na segunda divisão, vindo do corredor

«Membros da Sociedade Columbófila junto do edifício Sede | Alfazema»

Repare-se nos pombos nas mãos dos homens

A mesma divisão

«Mulher estendendo roupa»; «Praça Dr. Alberto Avelino, com morro do Castelo em plano de fundo»; «Ponte pedonal e Praça Dr. Alberto Avelino | Alfazema»

A terceira parede da divisão em U

«Interior da empresa Slingshot | Alfazema»
«Rampa do Casal dos Ossos | Alfazema»

*

A segunda divisão, também em U


«Vista geral do Choupal e Encosta de S. Vicente» e «Vista da Encosta de S. Vicente para o Choupal, morro do Castelo e cidade» (Esquerda); «Moradias na Encosta de S. Vicente» (Direita)

«Vista geral do Choupal e Encosta de S. Vicente»
«Vista da Encosta de S. Vicente para o Choupal, morro do Castelo e cidade»

«Moradias na Encosta de S. Vicente»


Praça da Alegria
Armando e António Santos (o Cochicho, para os amigos e demais gente) e uma senhora
«Alpendre na Encosta de S. Vicente»

«Pormenor de fonte, na encosta de S. Vicente» e «Pormenor de moradia, na Encosta de S. Vicente» (Esquerda); «Rio Sizandro e pontes pedonais. Ao entardecer [...]» (Direita)

«Pormenor de fonte, na encosta de S. Vicente»

«Pormenor de moradia, na Encosta de S. Vicente»

«Rio Sizandro e pontes pedonais. Ao entardecer [...]»

Deixamos a sala 2 e tomamos a escada  da esquerda


A caminho da sala 3

Patamar no piso do Auditório



«Biquinha do Choupal e acesso pedonal à estrada do Forte de S. Vicente» ; «Pai e filhos no Choupal»; «Crianças no Pórtico | Choupal» e «Ponte pedonal sobre o Choupal»

Já se vê a antecâmara da sala 3


Páteo do Faustino: cozinha e sala de refeições; «Snack bar Xeirinho Choupal» e
«Esplanada do snack bar Xeirinho | Choupal»

Restaurante Páteo do Faustino
Cozinha e sala de refeições

 «Snack bar Xeirinho Choupal» e «Esplanada do snack bar Xeirinho Choupal»
*
Sala 3


Expositor ao fundo, no lado oposto ao da entrada
«Ponte ferroviária sobre o rio Sizandro
Em plano de fundo, a zona alta da cidade»
«Via férrea, com Encosta de S. Vicente em plano de fundo»
«Ponte de S. Miguel sobre o rio Sizandro
Em plano de fundo estão o Choupal e a Encosta de S. Vicente»


«Evento nocturno nas margens do rio Sizandro»; «Evento nocturno no Choupal, com ermida de Nossa Senhora do Ameal em plano de fundo»; «Rotunda com estátua de S. Gonçalo de Lagos | Alfazema»; «Ermida de Nossa Senhora do Ameal. Ao entardecer | Choupal»;
 «Ponte pedonal com Encosta de S. Vicente em plano de fundo | Choupal»

«Família junto à Vala dos Ameais Choupal»; «Choupal, com Ermida de Nossa Senhora do Ameal em plano de fundo»; «Crianças a brincar no Choupal»; «Via Rodoviária | Choupal » ; «Grupo da Escola de Dança de Torres Vedras / Tuna | Choupal»








«Família com crianças no Choupal»;  « Grupo de idosos confraternizando no Choupal» e              «Mãe e filha no Choupal»

«Jovens no Choupal» 

Dois destaques, entre as quatro fotografias dos expositores do lado da Praça do Município

«Vala dos Ameais que atravessa o Choupal»

«Ermida de Nossa Senhora do Ameal. Vista nocturna | Choupal»

Descemos até ao corredor do rés-do-chão, passamos pela sala do Turismo (em frente) e pelo átrio. Espera-nos a rua e o sol.

***
https://www.youtube.com/watch?v=3kTG8NdYUlU (Reproduz documentário da RTP 2, duração: 57 min. e 49 seg.)
https://www.rtp.pt/programa/tv/p30986/e2 (Memórias do Século XX: Eduardo Gageiro - Um Século Ilustrado, Episódio 2 de 4 Duração: 50 min) Episódio não disponível.
https://www.youtube.com/watch?v=8qLUPdtHl74 (Eduardo Gageiro - Retratos com Histórias)
http://www.cm-tvedras.pt/cultura/galeria/enquadramento-galeria/ (Paços  Galeria Municipal de Torres Vedras)