quarta-feira, 27 de julho de 2022

SERENDIPIDADE -- Exposição de pintura de Edite Melo

 SERENDIPIDADE

Serendip é nome antigo de Ceilão (Sri Lanka actual). Logo aqui há uma inspiração orientalizante, quem sabe!? Os Três Príncipes de Serendip [i] vão viajar e descobrem coisas importantes, como por acaso… Aparentemente desprevenidos, com interesse, inteligência, olhos e restantes sentidos disponíveis para a aventura de viver. E de repente, faz-se luz. Uma evidência, uma verdade aparece, sem mais…

Mas, estas coisas não aparecem por acaso…

Pouco mais lembrava que a palavra «Serendipidade», ouvida há anos num programa televisivo com Nuno Crato e outros. Só vem registada no Dicionário de Houaiss. Esta breve recordação associada ao título, constituiu uma surpresa agradável e predispôs-me com leveza alegre a entrar na galeria…

*

Transposta a entrada no edifício, logo na parede da esquerda, como figura de convite, tutelar, a pintura Terra Mãe é a guia espiritual do que vamos ver, um retrato da autora, no seu cuidado, preocupação, força criadora e sentido de fraternidade entre todos os viventes.

Serendipidade é um modo de ser (e de estar). A qualidade impõe-se, acreditamos. Alguma tensão íntima nas obras expostas coexiste com alegria e vitalidade. Tensão dinâmica…, não exclusiva de negrumes, talvez maus, ou berços de luz.

O que vamos vendo oferece várias leituras. A primeira, modo paisagem, é a do encontro. Aí, melhor se percebe o conjunto, as linhas, volumes, manchas coloridas, composição, o estudo prévio… Aproximamo-nos, analisamos, descobrimos outras figuras, sobreposições, vários viventes desdobrando-se. Há parecenças de seres humanos, animais, rostos indiferenciados. A mesma quase indiferenciação entre os mundos animal/humano, vegetal... A grande cidade parece floresta; ou estende-se misteriosa à beira-rio, velada pela sugestão de ponte ou ilha navegante entre o azul do céu e do mar. No segundo plano de observação há esfumados a ter em conta, povoados de esboços de seres, discretos, esvaídos, subtis fantasmas ou fantasias. Esboços haverá não intencionais, mas estão presentes como desenhos feitos pelas nuvens.

Tudo é bonito. Até a assinatura de Edite Melo, o nome e a esfera. Às vezes não há nome, de cor diferente, conforme o fundo. Só a esfera, a bola-mundo.

Alguma vez, nem nome nem esfera.

Obs.: A exposição, na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras, está patente ao público até ao dia 13 de Agosto, de segunda a sábado, das 9 às 19 horas.


[i] Pode ver-se, no final, o linque para um artigo de Nuno Crato.


Praça do Município
Edifício Paços do Concelho

Átrio 


Como figura de convite, tutelar, esta pintura é a guia espiritual do que vamos ver. Um retrato da autora, no seu cuidado, preocupação, força criadora e sentido de fraternidade entre todos os viventes.



Sala 1



***

Janelas do Sentir

Bosque Encantado


Renascer

Harmonia                                                     Lago Negro
                             
Eunice

Ressurgir

***

Terra Fogo

Dois Mundos

Génese
Que quadro!

***

Intemporal

Memórias

Entre a Cidade e o Campo

***

Transição                        Triunfo
                      
***

Força

Na vitrina

Grafites: sépia, sépia escuro, sanguínea, carvão médio, pedra negra...

Grafite sépia escuro, grafite sépia e grafite sanguínea

Do livro Artes em Diálogo
Edite Melo e São Gonçalves 
       Neste livro de 179 páginas, vêm lado a dado a pintura e a poesia em estrofes breves de 2 a 7 versos, nele figurando cinco quadros de SERENDIPIDADE. Já em 2013 delas foi publicado o livro A Alma da Cor, igualmente uma obra a duas mãos... É trazer para palavras a «a alma da cor», quadro a quadro.

***

Para a Sala 2 Paços

Na parede do átrio, onde está a entrada para a Sala 2

Terra Mãe
Esta pintura é um retrato da autora, no seu cuidado, preocupação, força criadora e sentido de fraternidade entre todos os viventes, de maneira mais funda, incluindo a Terra e o Universo...


Sala 2 Paços



Parede da direita



Cidade Indigo

Cidade Árabe

Cidade Lunar

Cidade Etide

Parede em frente


Porto

Lisboa

Parede do lado da Praça do Município


Urbe na Margem



Parede do lado do átrio


Cidade Luz

*
Algumas assinaturas

De Triunfo

De Génese

De Força

De Intemporal

De Janelas do Sentir

*

Sem comentários:

Enviar um comentário